Avaliação dos estádios de maturação e qualidade pós-colheita de Goiabas ‘Tailandesa vermelha’

  • Pamela FEAGRI/UNICAMP
  • Lucas FEAGRI/UNICAMP
  • Juliana FEAGRI/UNICAMP
  • Gisela FEAGRI/UNICAMP
  • Juliana FEAGRI/UNICAMP
Palabras clave: biospeckle; speckle dinâmico; taxa respitatótia; laser; amadurecimiento; goiabeira.fibra de coco; FTIR; compuestos orgánicos; fibras naturales; embalaje

Resumen

    Em goiabas, o processo de amadurecimento ocorre de forma acelerada após a colheita, o que gera mudanças rápidas na cor, textura entre otras características, fazendo com que ases mesmas apresentem um período curto de conservação, o que inviabiliza a sua comercialização para determinadas localidades. Para uma manutenção correta da qualidade pós colheita é necessário que a colheita seja feita em estádios adequados de maturação. A colheita precoce impede que o fruto se desenvolva por completo, não adquirindo as características desejadas, enquanto que na colheita tardia, o fruto apresentará uma rápida perda de qualidade, diminuindo assim o seu tempo de vida. Diante do apresentado, o presente trabalho visou avaliar a maturidade da goiaba através de técnicas convencionais e por meio do Biospeckle, que se apresenta como uma técnica de baixo custo e de fácil execução, consistindo na iluminação de um material biológico para obtenção de imagens a serem processadas, obtendo-se a partir das mesmas informações sobre a atividade biológica do material em análise. Foram utilizados frutos de goiabas da variedade vermelha da Tailândia, colhidos em quatro estádios de maturação e realizadas avaliações físico-químicas, de taxa respiratória e de cor da epiderme. Os valores de açúcares (ºBrix), taxa respiratória, relação SST/ATT (sólidos solúveis totais/acidez total titulável) e índice de escurecimento aumentaram conforme avançava os estádios de maturação, enquanto a acidez total titulável diminuiu. As análises realizadas com Biospeckle não apresentaram diferenças significativas entre os tratamentos.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Pamela, FEAGRI/UNICAMP

Graduanda em Engenharia Agrícola

Lucas, FEAGRI/UNICAMP

Engenheiro Agrícola, Mestrando em Engenharia Agrícola

Juliana, FEAGRI/UNICAMP

Engenheira Agrônoma, Doutoranda em Engenharia Agrícola

Gisela, FEAGRI/UNICAMP

Engenheiro Agrícola, Mestrando em Engenharia Agrícola

Juliana, FEAGRI/UNICAMP

Engenheira Agrícola, Prof. Doutora

Citas

AZZOLINI, M.; JACOMINO, A. P.; SPOTO, M. H. F. Estádios de maturação e qualidade pós-colheita de goiabas ‘Pedro Sato’. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 26, n. 1, 2004.

BIBLE, B. B.; SINGHA, S. Canopy position influences CIELAB coordinates of peach color. HortScience, v. 28, n. 10, p. 992-993, 1993.

BROWN, B. I.; WILLS, R.B.H. Post-harvest changes in guava fruit of different maturin. Scientia Horticulturae, Amsterdan, v. 19, n. ¾, p. 237-243, Apr. 1983.

CARVALHO, C.R.L.; MANTOVANI, D.M.B.; CARVALHO, P.R.N.; MORAES, R.M.M. Análises químicas de alimentos. Campinas: ITAL, 1990. 121p.

CAVALINI, F.C.; JACOMINO, A.P.; LOCHOSKI, M.A.; KLUGE, R.A.; ORTEGA, E.M.M. Maturity indexes for ‘Kumagai’ and ‘Paluma’ guavas. Revista Brasileira de Fruticultura, v.28, 2006.

CAVALINI, F.C. Fisiologia do amadurecimento, senescência e comportamento respiratório de goiabas ‘Kumagai’ e ‘Pedro Sato’. ESALQ/USP. Piracicaba, 2008. 90p.

CHEN, P. M.; MELLENTHIN, W. M.; RICHARDON, D.G. A comparative study of “d” and “Bosc” pears in relation to maturity and posthaverst life. HortScience, Alexandria, v.15, n.1, 1980.

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: ESAL/ FAEPE, 2005.

GERHARDT, L.B. de A.; MANICA, I.; KIST, H.; SIELER, R.L. Características físico-químicas dos frutos de quatro cultivares e três clones de goiabeira em Porto Lucena, RS. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 32, p. 185-192, 1997.

GOUVEIA, J. P. G.; ALMEIDA, F. A. C.; MEDEIROS, B. G. S.; RIBEIRO, C. F. A.; SILVA, M. M. Maturação da goiaba mediante parâmetros físico-químicos. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, Especial, n.1, p.85-94, 2003.
MANICA, I.; ICUMA, I. M.; JUNQUEIRA, N.T.V.; SALVADOR, J.O.; MOREIRA, A.; MALAVOLTA, E. Fruticultura Tropical-Goiaba. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2000. 373p.

MOTTA, J. D.; QUEIROZ, A. J. M.; FIGUEIRÊDO, R. M. F.; SOUZA, K.S.M. Índice de cor e sua correlação com parâmetros físicos e físico-químicos de goiaba, manga e mamão. Com. Sci., Bom Jesus, v.6, n.1, p.74-82, Jan./Mar. 2015.

NOGUEIRA, R. J. M. C.; MORAES, J. A. P.; BURITY, H. A.; SILVA JÚNIOR, J. F. Efeito do estádio de maturação dos frutos nas características físico-químicas de acerola. Pesq. agropec. bras., Brasília, v. 37, n. 4, p. 463-470, abr. 2002.

PALOU, E. et al . Polyphenoloxidase activity and color of blanched and high hydrostatic pressure treated banana puree. Journal of Food Science, v. 64, n. 1, p. 42-45, 1999.

PEIXOTO, L. S.; FRACAROLLI, J. A.; AGUIAR, R. H. Evaluation of Minimally Processed Apples with Application of Edible Films through Biospeckle. Journal of Agricultural Science and Technology B 6. 2016.
Publicado
2019-09-10
Cómo citar
S. Betin, P., S. Peixoto, L., C. do Prado, J., M. Silva, G., & A. Fracarolli, J. (2019). Avaliação dos estádios de maturação e qualidade pós-colheita de Goiabas ‘Tailandesa vermelha’ . Ingeniería Y Región, 20(1), 87-94. https://doi.org/10.25054/22161325.2116
Sección
Artículos